Mulher relata assédio dentro de Uber em SP

0

Motorista deixou passageira na rua depois que ela se recusou a tirar a roupa durante corrida

 

Uma mulher de 29 anos relatou nas redes sociais ter sido vítima de assédio sexual por parte de um motorista do aplicativo de transporte Uber na madrugada do último domingo. Fernanda Santos conta que voltava para casa quando o motorista pediu para que ela tirasse a roupa. Ao negar ela foi deixada na avenida Roberto Marinho, zona sul da capital, por volta das 5h. Depois do ocorrido um taxista que a ajudou levando -a  para casa.

No desabafo, ela disse estar cansada dos assédios pelos quais as mulheres passam todos os dias: “Sério “Sério mesmo que não posso mais me sentir segura pegando um UBER para a minha casa? Sério que vocês, homens, acham que tem o direito de nos assediar verbalmente e fisicamente?”. Mas  outro texto divulgado , Fernanda diz que foi “muito bem atendida” pela empresa e que não pretende deixar de usar o aplicativo. “Espero que as pessoas entendam que não é Uber X Taxi, e sim a situação que nós mulheres somos expostas todos os dias em todos os lugares”.

Como sempre a empresa de tecnologia diz que lamenta o ocorrido e que o motorista parceiro já foi desligado, que colabora com as investigações da policia e blá, blá, etc… e tal. Ainda bem que não aconteceu o pior. A grande verdade  que é muito fácil entrar para trabalhar na Uber, qualquer um entra, e pouco se sabe a finalidade desses  motoristas, acredito que a maioria entra  realmente para trabalhar, mas o número de assédios, estupros vêm crescendo  absurdamente, há muitos relatos, uma verdade que infelizmente a  mídia  não mostra.

 

Compartilhar.

Sobre o Autor

Deixe uma resposta